ANATOMIA SISTÊMICA: UMA ABORDAGEM DIRETA PARA O ESTUDANTE

05/07/2016 15:41

185 páginas – 2ª edição – 2010

 

Este livro trata do estudo da anatomia humana, descrita e analisada a partir dos diversos sistemas e aparelhos que compõem o corpo humano. Além de uma abordagem inicial e conceitual sobre o estudo da anatomia, cada capítulo traz os aspectos essenciais anatômicos e funcionais de um sistema corporal. O livro tem uma linguagem direta, simples, acessível e direcionada ao estudante de graduação da área biológica e da saúde sobre a anatomia, tornando-a mais compreensível, clara e menos árida. Visa atender às necessidades básicas requeridas pelas diferentes práticas profissionais da área da saúde. A confecção do livro teve como ponto inicial resumos e anotações compiladas durante estudos teóricos e práticos feitos por Juliano Córdova Vargas, durante sua graduação em Medicina. Estes textos foram revisados e aprimorados pela professora Carla Gabrielli, doutora em Anatomia e docente na UFSC desde 1991, procurando manter a visão do estudante de graduação acerca da anatomia. O conteúdo textual é conciso e objetivo, segue a Terminologia Anatômica oficial e foi reforçado com desenhos e esquemas feitos à mão livre.


ANTROPOLOGIA DO CIBERESPAÇO

05/07/2016 15:41

174 páginas – 1ª edição – 2010

 

ESGOTADO

 

Os ensaios deste livro são uma primeira aproximação consolidada como resultado de vários anos de pesquisa e análise do campo de estudos da antropologia no ciberespaço. Foram produzidos em épocas diferentes, estilos diferentes, abordagens diferentes, mas com um mesmo objetivo que é a reflexão crítica. Seus autores procuraram seguir um princípio básico que tem sido a nossa divisa, nossa marca registrada: colocar sempre em primeiro plano a dimensão vivencial das experiências sociais analisadas. Somos nativos do ciberespaço e o nosso olhar sobre ele está situado na fronteira entre a nossa observação e a nossa experiência. Numa tal antropologia, em que sujeitos e objetos se encontram, o diálogo se impõe como uma necessidade, assim como a postura crítica. Trata-se de colocar em suspensão tanto a autoridade do sujeito quanto a familiaridade com o objeto, e a partir desse deslocamento produzir uma reflexão e uma narrativa marcadas pelo contínuo movimento entre o “interior” e o “exterior” das experiências sociais e da própria produção antropológica. Em síntese, é um projeto que procura resgatar nos estudos do ciberespaço a dimensão vivencial dos sujeitos que nele habitam e discutir criticamente a inteligibilidade de uma antropologia no ciberespaço.


GEORGES BATAILLE, FILÓSOFO

05/07/2016 15:41

120 páginas – 1ª edição – 2010

 

ESGOTADO

 

O livro Georges Bataille, filósofo é o resultado de um Curso de Filosofia das Artes organizado por Franco Rella e Susanna Mati na Faculdade de Design e Artes do Istituto Universitario Architettura Venezia (IUAV), em 2005-2006, e dedicado à História do erotismo. Segundo os autores, “a convicção da absoluta centralidade da filosofia na obra de Bataille, frequentemente obscurecida pela crítica, levou-nos a aprofundar esse aspecto – partindo da emersão no curso – nos dois ensaios que constituem as primeiras duas partes do livro. A terceira parte é testemunha do diálogo que está na base dos ensaios e que nos levou a colocar novamente em questão os resultados alcançados, reforçando a ideia de que o pensamento de Bataille é uma das obras filosóficas decisivas do século XX, aberta àquela que definimos como "filosofia futura”.

Franco Rella(1944), professor de Estética (IUAV-Istituto Universitario Architettura Venezia), é um dos grandes filósofos italianos contemporâneos. Rella organizou edições italianas das obras de Baudelaire, Rilke, Hölderlin, Bataille e Flaubert. Entre seus livros mais importantes: Il silenzio e le parole(1981); l’enigma della bellezza (1991); Miti e figure del moderno (1993); Ai confini del corpo (2000); Dall’esilio. Scrittura e testimonianza (2004) Scritture estreme. Proust e Kafka (2005); Micrologie (2007);La responsabilità del pensiero (2009). Alguns de seus livros e muitos ensaios foram traduzidos em inglês, alemão, francês e espanhol.

Susanna Mati(1975) é doutora em Estética. Foi secretária do AISE (Associazione Italiana per gli Studi di Estetica). Colaborou na elaboração da Enciclopedia Filosofica (2006/Bompiani). Organizou livros sobre Novalis, W. F. Otto, G. Bataille e numerosos textos literários para as edições Via del Vento, como o livro Sono fluito e altre poesie (2005), de Fernando Pessoa, e organizou uma edição de “Poesie scelte”, de F. Hölderlin (Feltrinelli/2010). É autora de Ninfa in labirinto (2006); La Piantamitologica (2007) e La mela d’oro. Mito e destino (2009). Atualmente é professora de Estética, na Facoltà di Arti (IUAV-Istituto Universitario Architettura Venezia).


HISTÓRIA DE SÃO FRANCISCO DO SUL

05/07/2016 15:41

176 páginas – 1ª edição – 2004

 

A história do Brasil meridional, mais precisamente a de Santa Catarina, começa em São Francisco do Sul com a chegada, em 1504, do francês Binot Paumier de Gonneville à baía de Babitonga. A expedição desse navegador normando, as posteriores explorações espanholas e vicentistas e a elevação de São Francisco do Sul à categoria de vila, além de outros aspectos históricos do nordeste catarinense, até meados do século XIX, são assuntos analisados nesta obra.


A CHAVE DO ARMÁRIO [HOMOSSEXUALIDADE-CASAMENTO-FAMÍLIA] – 1ª ed. 2010

05/07/2016 15:41

225 páginas – 1ª edição – 2010

 

ESGOTADO

 

O livro A Chave do Armário, de Miguel Vale de Almeida (Lisboa, 1960) antropólogo, professor e deputado da Assembléia da República Portuguesa eleito em 2009, inicia uma parceria com a editora Imprensa de Ciências Sociais, de Lisboa, e abre as perspectivas de publicação da Editora da UFSC para uma interessante variedade de assuntos e abordagens. Miguel Vale de Almeida é professor no ISCTE e investigador do CRIA, onde dirige a linha de investigação Identidades Sociais e Diferenciações e a revista Etnográfica. Publicou Senhores de si: uma interpretação antropológica da masculinidade, Um mar da cor da terra: raça, cultura e política da identidade e Outros destinos: ensaios de antropologia e cidadania. Editou o volume Corpo presente: 13 reflexões antropológicas sobre o corpo e coeditou Trânsitos coloniais: legados críticos luso-brasileiros. Grande parte dos seus trabalhos pode ser consultada em miguelvaledealmeida.net.

A professora e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFSC, Miriam Grossi, que é também a coordenadora da Coleção Gênero e Feminismo, na apresentação do livro, aponta para a importância do trabalho e da pesquisa de Miguel Vale de Almeida:

“O antropólogo e deputado português Miguel Vale de Almeida traz, neste livro, importante contribuição ao campo dos estudos de gênero e sexualidade. A Chave do Armário é uma obra que reúne vários artigos resultantes de pesquisas sobre homoparentalidade e conjugalidades entre pessoas do mesmo sexo, em Portugal, Espanha e França. O autor incorpora em sua análise teórica também seu engajamento político em prol dos direitos d0e gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros em Portugal, onde, como deputado, pôde contribuir para a aprovação de lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Temos, portanto, aqui, uma obra que articula, de forma exemplar, reflexão teórica e militância política, numa fina ilustração de que teoria e ação podem ser formas complementares da agência de intelectuais engajados na transformação das relações sociais no mundo contemporâneo. A publicação deste livro na coleção Gênero e Feminismo é uma iniciativa pioneira de parceria luso-brasileira entre a Editora da UFSC e a Imprensa de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, visando a ampliar o público leitor de obras de ciências sociais de países de língua portuguesa. Esperamos também contribuir, por meio desta primeira publicação conjunta, para um conhecimento maior, no Brasil, acerca dos estudos sobre homossexualidades em Portugal.”